Figuras de Continuidade - Trader Gráfico - Robôs, Cotações, Notícias e Análises Bovespa
  • Clique aqui para voltar e escolher outra Newsletter.


    Análise Técnica e SuperSinais
    Ano 2 - Número 11 - Segunda-feira, 25/02/2008


    Esta Newsletter é enviada Semanalmente a todas as pessoas devidamente cadastradas no site www.tradergrafico.com.br/newsletter e tem por objetivo apenas informar ao seu público alvo detalhes sobre indicadores, funções e análises necessários para uma avaliação de ativos e empresas associados a renda variável. Esta Newsletter não produz e não produzirá análises ténicas sobre nenhum ativo ou empresa.


    Figuras de Continuidade

    Nesta semana nós abordaremos mais um tema de análise gráfica, as figuras de continuidade.

    Formas geométricas criadas por linhas de tendência de alta, de baixa e retas horizontais que identificam pontos de correção dos preços da tendência atual, mas que não significam reversão de tendência e sim continuidade da mesma.

    Dentre as figuras de continuidade, destacamos as 3 mais comuns:
    • Triângulos
      • Criado por 2 linhas de tendência convergentes;
      • Podem sinalizar alta, baixa ou indefinição, sempre acompanhando a atual tendência;
      • Deve ser rompido antes de chegar no final;
      • Normalmente há aumento de volume quando houver rompimento de um dos lados do triângulo.
      Triangulo


      Na figura acima podemos ver um triângulo formado por uma Linha de Tendência de Alta - LTA e por uma Linha de Tendência de Baixa - LTB. A seta azul de duas pontas que fecha o triângulo é a sua amplitude, ou seja, a diferença de preço que se espera alcançar assim que um dos lados do triângulo for rompido, esta seta azul é repetida fora do triângulo mostrando qual o objetivo. Deve-se notar que o triângulo foi rompido bem antes do final da figura e, por isso mesmo, ele é válido. Caso o rompimento ocorra perto da união das linhas LTA e LTB, a figura fica inválida e perde o seu conceito.

    • Flâmula
      • Ocorre durante tendências de alta ou baixa;
      • Sinaliza uma pausa para continuidade da tendência;
      • O objetivo após esta figura é alcançar a mesma amplitude de preço de antes da figura.
      Flamula


      A Flâmula pode ser reconhecida na figura acima pela sua haste em azul e corpo em cor magenta. Na figura acima, podemos ver duas flâmulas e uma reta azul que seria o início da terceira. A segunda apenas repete a primeira e não tem importância nesta análise. Veja que a amplitude da primeira flâmula é repetida como objetivo no movimento que começa logo após o fim da segunda figura. Esta sinal é típico em tendências de alta ou baixa e significa a correção natural dos preços após um período de tendência ininterrupta.

    • Retângulo
      • Formado por 2 linhas horizontais;
      • Representa um período de estabilidade de preços antes da continuação da tendência atual;
      • O objetivo após o rompimento desta figura é alcançar a mesma amplitude do retângulo.
      Retangulo


      Na figura acima temos dois retângulos, o primeiro, na parte de baixo é formado por duas retas que são tocadas algumas vezes cada uma pelos preços e, assim que uma delas é rompida, temos a formação do segundo retângulo cujo objetivo é a mesma amplitude do primeiro retângulo. Note que esta figura tem o conceito semelhante ao triângulo, pois o objetivo do preço é dado pela amplitude da figura formada, enquanto que na flâmula o objetivo é formado pelo tamanho da tendência antes da flâmula.
    Na próxima semana abordaremos as figuras de reversão.

     
    Você pode desenhar as suas próprias figuras no Trader Gráfico utilizando o menu Desenhar ou clicando com o botão direito do mouse dentro do gráfico. Para mais informações basta acessar o link abaixo:

    http://www.tradergrafico.com.br/ajuda/ajuda.asp?id=4

    Carlos Martins: Profissional de Investimento Certificado APIMEC - CNPI, autor do livro "Os Supersinais da Análise Técnica" (Ed. Campus-Elsevier, 2010) e sócio-fundador do Trader Gráfico.

    Facebook Twitter