O patamar correto do STOP - Trader Gráfico - Robôs, Cotações, Notícias e Análises Bovespa
  • Clique aqui para voltar e escolher outra Newsletter.


    Análise Técnica e SuperSinais
    Ano 3 - Número 65 - Segunda-feira, 01/06/2009


    Esta Newsletter é enviada Semanalmente a todas as pessoas devidamente cadastradas no site www.tradergrafico.com.br/newsletter e tem por objetivo apenas informar ao seu público alvo detalhes sobre indicadores, funções e análises necessários para uma avaliação de ativos e empresas associados a renda variável. Esta Newsletter não produz e não produzirá análises ténicas sobre nenhum ativo ou empresa.


    O patamar correto do STOP

    Nesta semana vamos falar de uma dúvida comum entre os investidores, desde os iniciantes até os mais graduados, que é o patamar correto para se colocar uma ordem STOP. Nesta newsletter falaremos da ordem STOP como uma ordem de venda, porém também existem ordens STOP de compra, que são utilizadas quando o investidor opera vendido a descoberto, neste caso basta inverter a lógica de uso.

    O que é uma ordem STOP?

    Ordem STOP é uma ordem de venda que só é válida abaixo de um preço definido pelo investidor. Assim, ela é cadastrada no home-broker da corretora e é disparada para o pregão se o preço do ativo ficar menor do que o estipulado no momento da sua confecção. Ordens STOP existem para proteger o investidor de quedas bruscas em momentos em que ele não está acompanhando o pregão.

    Como definir o preço de disparo de uma ordem STOP?

    Diferente do que muitos pensam, a ordem STOP, ou apenas STOP, não deve ficar muito próxima do preço atual do ativo, pois o objetivo de usar STOP é o de proteger a operação e não desfazer a operação.

    Seguindo este raciocínio, devemos tomar cuidado para não usar o feeling para definir o STOP. Por mais experiente que você seja, palpite é sempre palpite, e quando lidamos com dinheiro é melhor tomar alguns cuidados.

    Sempre que você efetuar uma compra no mercado com o objetivo de ficar comprado por algum tempo, ou operar no Position Trade, é altamente recomendado usar STOP. Ele deve ser configurado no mesmo instante em que a compra é confirmada, agindo como proteção para o seu investimento.

    O local onde o STOP deve ficar é sempre no suporte forte mais próximo. Não importa se este suporte está um pouco longe do preço de compra, pois se você colocar o STOP em um patamar de preço fraco, a probabilidade do ativo oscilar em torno deste patamar e disparar o seu STOP é alta. Portanto, avalie o primeiro STOP antes mesmo de efetuar a sua compra e, se você estiver desconfortável com a sua distância, não efetue a compra, procure outro ativo com um STOP mais adequado à sua tolerância de risco.

    Note que o STOP não fica onde você deseja, ele é colocado sempre alguns centavos abaixo do próximo suporte forte. A explicação para esta necessidade de seguir o gráfico e não a vontade do investidor é simples, se você colocar o STOP em um patamar de preço confortável para você, como você vai fazer para avisar os outros milhares de investidores que aquele preço não pode ser perdido? Impossível, certo? Por isso, é mais fácil você usar um patamar de preço que seja consenso no mercado e que seja respeitado pelo gráfico.

    Quando o STOP é posicionado em local inadequado, é comum que a oscilação do preço do ativo dispare a sua ordem de venda e logo após o disparo o preço volte a subir. Normalmente nesta hora o investidor começa a se lamentar por não ter colocado o STOP um pouco mais baixo. Outros acreditam realmente que o mercado conspira contra eles, quando na verdade o que faltou foi técnica na hora de decidir onde colocar o STOP.

    Lembre-se, o STOP protege os seus investimentos do prejuízo e pode também proteger parte de lucros já auferidos, mas quem decide o melhor lugar para posiciona-lo é o mercado, cabendo a você apenas entender qual o melhor patamar de suporte e aceitá-lo ou rejeitá-lo.

     
    A definição do STOP como proteção do prejuízo e também como ferramenta para alcançar lucro faz parte do programa do Curso de Análise Técnica I:

    Curso Análise Técnica I - 06/06/2009

    Carlos Martins: Profissional de Investimento Certificado APIMEC - CNPI, autor do livro "Os Supersinais da Análise Técnica" (Ed. Campus-Elsevier, 2010) e sócio-fundador do Trader Gráfico.

    Facebook Twitter